Sobre os Kitchen Dates

Temos uma missão claramente assumida: criar um mundo mais consciente, saudável e sustentável. Trabalhamos sobretudo a alimentação enquanto ferramenta para a mudança, pois é dela que depende boa parte do nosso impacto negativo no planeta.

Kitchen Dates – salada

Fazer escolhas alimentares mais sustentáveis já não pode ser apenas uma prática exclusiva de uma minoria. Infelizmente mergulhámos numa situação de emergência climática, que nos obriga a todos a assumir um papel mais activo na resolução do problema – sob pena de deixarmos de ter um planeta habitável para as gerações vindouras.

O nosso trabalho é acima de tudo inclusivo. Sabemos que a alimentação tem raízes muito profundas na cultura e nas tradições, na definição da nossa própria identidade e nas relações com os outros. Mexer com isso implica, em muitos casos, repensar hábitos há muito estabelecidos e desconstruir uma realidade que durante muito tempo nem sequer questionámos. Sabendo isso de experiência própria, queremos ajudar a traçar um caminho mais positivo, num processo de mudança progressiva – mas significativa.

 

Por onde começar?

O desperdício alimentar está na origem de 6% do total de emissões de gases com efeito de estufa à escala global. Deste número verdadeiramente assustador, a fatia mais significativa acontece mesmo em nossas casas – porque comprámos mais do que aquilo de que precisávamos, porque nos esquecemos daquela alface no fundo do frigorífico ou pura e simplesmente porque preparámos comida a mais e já não nos apeteceu comer.

Ao mesmo tempo que atacamos o problema do desperdício alimentar ao longo de toda a cadeia, é essencial olhar também para aquilo que comemos. Diferentes alimentos têm diferentes impactos. Ou seja, as escolhas que fazemos têm o poder de mudar radicalmente a nossa pegada de carbono.

Aqui é impossível não comparar alimentos de origem animal e de origem vegetal, sobretudo quando vemos que os primeiros estão no topo de todas as tabelas de emissões de gases com efeito de estufa. A mudança para uma alimentação de base vegetal é já um imperativo, que vai muito para lá das convicções éticas daqueles que acreditam que não há justificação para comermos animais.

Seja em casa, na restauração ou em qualquer outro contexto em que a comida tenha um papel central, acreditamos que é possível fazer a diferença. E queremos ajudar a acelerar esse processo. Vamos a isso?